José L. Carretero Miramar – Abraham Guillén: guerrilha e autogestão

ABRAHÁM GUILLÉN: GUERRILHA E AUTOGESTÃO

José Luis Carretero Miramar

R$ 55,00

Formato: 16 x 23 cm
304 pgs.
Coleção Estudos do Anarquismo (Coedução com Instituto de Teoria e História Anarquista)

Pensar e agir para construir a revolução social e uma sociedade anarquista são imperativos coletivos que frequentemente são encarnados em figuras que, por seu comprometimento, alcançam grande relevância na história do anarquismo, dos movimentos de trabalhadores e das lutas revolucionárias. Sem dúvida, Abraham Guillén é um desses casos. No entanto, este, que é uma das figuras mais importantes no campo da estratégia político-militar no anarquismo, assim como no campo econômico da autogestão como forma concreta de organização social, permanece praticamente desconhecido até os dias atuais no Brasil, contando com pouquíssimos livros de sua vasta obra traduzidos para o português.

A vida de Guillén já mereceria um estudo detalhado pela riqueza de sua trajetória e pela evolução de seu pensamento e ação que se inicia como militante da Confederação Nacional do Trabalho (CNT) durante a Guerra Civil Espanhola, passa pela resistência ao franquismo, pela organização da luta armada na América Latina contra as ditaduras e pela produção de uma obra vasta sobre temas centrais para a revolução social. A importância de Guillén e a necessidade de retomar sua contribuição se potencializam ainda mais porque ele buscou produzir uma leitura profunda da situação concreta da América Latina, da correlação de forças que permitiram o surgimento e a perpetuação da dependência econômica, das condições necessárias para que a revolução social fosse aqui vitoriosa e quais seriam os meios necessários para assegurar o sucesso da empreitada revolucionária latino-americana.

 Além disso, a urgência em retomar as contribuições de Guillén dialoga profundamente com a conjuntura brasileira do momento em que este livro está sendo publicado. Em meio a uma pandemia sem precedentes que, cotidianamente, ceifa milhares de vidas como resultado de uma política de morte das classes dominantes e de um governo de extrema direita, o imobilismo e a institucionalização de parte da esquerda e de suas táticas de luta, assim como a enorme dificuldade em dar uma resposta a toda essa situação, retomar a vida e a obra de Guillén pode ser uma forma de fortalecer as tradições de luta combativa que o anarquismo sempre estimulou, compreendendo-as como as mais adequadas para se alcançar uma sociedade livre de todas as formas de dominação e exploração.

Por todos esses motivos, o livro de José Luis Carretero Miramar não poderia chegar em melhor hora. Trata-se de uma biografia política rigorosa e muito bem fundamentada, que realiza uma apresentação crítica da vida e das ideias de Abraham Guillén, mas não se contenta com uma simples exposição descritiva de seu tema, sempre buscando encontrar formas de aproximar as ideias discutidas com a realidade atual, promovendo uma apropriação ativa dos debates e um questionamento profundo em relação à práxis de movimentos sociais, intelectuais e organizações políticas na atualidade.

Ivan T. L. de Oliveira, maio de 2021

SUMÁRIO

AGRADECIMENTOS

PRÓLOGOS
OS PASSOS DE GUILLÉN: REVOLUCIONÁRIO EM AMBOS OS LADOS DO PACÍFICO
GUILLÉN E O SOCIALISMO AUTOGESTIONÁRIO

ABRAHAM GUILLÉN: GUERRILHA E AUTOGESTÃO
A GUERRA DE TODO UM POVO
UM DIFÍCIL PÓS-GUERRA
O PLANO COOKE – GUILLÉN
O DESTINO DA HISPANO-AMÉRICA
A REVOLUÇÃO LIBERTADORA (FUZILADORA)
OS UTURUNCOS
OS GRANDES TEXTOS SOBRE O IMPERIALISMO
MONTEVIDÉU, CIDADE DA LUZ
A POLÊMICA SOBRE A GUERRILHA
OS ANOS TUPAMAROS
A TORMENTA QUE LEVA AO GOLPE
DE VOLTA À BUENOS AIRES: INTERLÚDIO
PERU: A REVOLUÇÃO PECULIAR
ESPANHA NO CORAÇÃO
UM REGRESSO FINAL
A AUTOGESTÃO: A ALTERNATIVA DE GUILLÉN
UM GUILLENISMO APÓS GUILLÉN?
GUILLÉN EM IMAGENS
BIBLIOGRAFIA